Quinta-feira, outubro 22, 2020

Sindicato contra censura da Comissão de Gestão da TV Zimbo

Notícias de Angola – Sindicato contra censura da Comissão de Gestão da TV Zimbo

Num comunicado emitido nesta segunda-feira, 05, o Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) diz condenar o acto de censura a que foi alvo a rubrica “Directo ao ponto”, da TV Zimbo, espaço de análise económica do jornalista Carlos Rosado de Carvalho, no último fim-de-semana, em Luanda.

O comunicado surge na sequência da denúncia feita pelo também economista, Carlos Rosado de Carvalho, que se viu impedido de abordar naquela estação de televisão, um tema relacionado com o caso que envolve o director do Gabinete do Presidente, Edeltrudes Costas, por enriquecimento indevido, depois de uma reportagem emitida há cerca de um mês pela TVI de Portugal.

Segundo o comunicado assinado pelo seu secretário geral, Teixeira Cândido, “as suspeitas que recaem sobre o director do gabinete do Presidente da República é um assunto de interesse público”, tal como estabelece o artigo 11º da Lei de imprensa e, por esta razão, “considera deplorável o argumento utilizado pela Comissão de Gestão para impedir a abordagem” do assunto na rubrica “Directo ao ponto”.

A nota termina lembrando que a TV Zimbo e qualquer outro órgão de Comunicação Social, tem o “dever de estar ao serviço do interesse público e da sociedade e não de grupo de pessoas, quaisquer que sejam as qualidades ou funções que exerçam”, encorajando, por outro lado, os jornalistas daquela estação a denunciarem eventuais actos de interferência na gestão editorial do canal.

À Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERCA), o sindicato solicitou a desempenhar o seu papel.

Lembrar que Carlos Rosado de Carvalho tornou público a denúncia, no último sábado, através das suas redes sociais, de que tinha sido informado que o tema agendado para abordar na edição de sábado, 3, no principal serviço noticioso da estação, era inoportuno.

Na publicação que tem como título “Ponto final no Directo ao ponto”, Carlos Rosado de Carvalho escreve que “O caso Edeltrudes Costa” seria o tema do programa, mas, contudo, foi impedido, o que o levou a recusar a proposta de apresentar outro tema, bem como a continuar a fazer a rubrica, na TV Zimbo.

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA TV ZIMBO

A TV Zimbo, tomou conhecimento de algumas notícias em circulação nas redes sociais, sobre a suposta recusa desta Estação da adoção de um tema para a rubrica “Directo ao Ponto”.
Sobre está assunto, comunicamos:

A TV Zimbo emite há mais de um ano uma rubrica de análise econômica, intitulada “DIRECTO AO PONTO” no seu principal jornal de sábado e que conta habitualmente com o concurso do seu colaborador eventual, Carlos Rosado de Carvalho.

Os temas, objectos de análise, na rubrica em questão, são responsabilidade da emissora que os comunica ao colaborador para efeitos de pesquisa e produção.

No entanto, que esse princípio não impede o colaborador propor matérias que considera de interesse público e relevantes para a sua abordagem, cabendo em primeira instância a direção de conteúdos informativos da TV Zimbo decidir pela sua aprovação ou não.

É um procedimento normal em todas as redacções de órgãos de comunicação social no mundo.

Sobre o facto em questão, no dia 1 de Outubro, quinta-feira, quis o colaborador Carlos Rosado de Carvalho, com bastante insistência abordar o chamado caso “Edeltrudes Costa”, que não constava da pauta editorial da rubrica “Directo ao Ponto”, aprazado para a semana em vigor, o que, como é óbvio, não foi possível aceitar tal solicitação.

De forma supreendente ainda, o colaborador recusou-se a abordar um outro tema e o acto contínuo, recorreu às suas páginas nas redes sociais para escrever um texto fazendo crer que na TV Zimbo se tinha instalado um clima de censura generalizada.

No mesmo texto, Carlos Rosado de Carvalho de forma unilateral e sem aviso prévio, resolveu pôr fim à relação contratual que o ligava à TV Zimbo e, em particular à rubrica “Directo ao Ponto”.

Lamentavelmente e de forma precipitada, o Sindicato dos Jornalistas Angolanos, uma instituição da classe, parceira da TV Zimbo na resolução dos problemas que afligem os jornalistas, sem cumprir com o preceito do contraditório que ganho defende, baseando-se apenas em julgamentos das redes sociais emitiu esta segunda-feira, um comunicado de imprensa a condenar “pseudos” actos de censura na estação.

Perante a gravidade de tal afirmação, a Comissão de Gestão da TV Zimbo , solicita tranquilidade ao Sindicato dos Jornalistas, e ao público em geral, para que não se tome decisões públicas com bases em informações infundadas e irresponsáveis que circulam nas redes sociais.

A TV Zimbo reafirma, perante os telespectadores o seu compromisso de prosseguir o processo de abertura responsável que lhe cabe, mantendo a sua linha editorial mas sem ceder às vezes radicais, às ameaças e à gritaria de quem quer que seja.
A democracia implica equilíbrio, serenidade e cumprimento de regras.

Luanda, 05 de Outubro de 2020
A Comissão de Gestão

Deixe o seu comentário

Postagens recentes

Siga-nos

Assine a nossa newsletter

Digite seu endereço de e-mail para se inscrever neste site e receber notificações de novos posts por e-mail.

let's talk!

%d bloggers like this: