MINTTICS suspende emissões da programação de evangelização da IURD do canal FÉTV

IURD

Atualidade – MINTTICS suspende emissões da programação de evangelização da IURD do canal FÉTV

A disputa pela liderança da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), em Angola, continua sem fim à vista entre os pastores e bispos angolanos afectos às alas de Alberto Segunda e Valente Bezerra Luís, que lutam há três anos pela liderança da igreja no País.

Esta semana a conhecida “ala dos dissidentes” pediu ao Ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS) que suspendesse as emissões da programação de evangelização do canal FÉTV, por emitir conteúdos da conhecida “ala brasileira”.

Ao Novo Jornal, o director nacional de informação e comunicação institucional do MINTTICS, João Demba, disse que o ministério apenas acatou o pedido por escrito da direcção da igreja liderada pelo bispo Valente Bezerra Luís, por ser a direcção reconhecida pelo Estado. “Nós não suspendemos por suspender, foi a direcção da igreja, legalmente reconhecida pelo Estado angolano, que solicitou ao ministério para suspender a transmissão da programação de evangelização do canal FÉTV”, confirmou o director.

O canal FÉTV assegura que a suspensão do canal nas plataformas MULTICHOICE e TV CABO, foi sem nenhuma prévia notificação. Já o bispo António Miguel Ferraz, presidente do conselho de direcção da IURD, da conhecida “ala brasileira”, garante que a rebelião sem precedentes que se instalou na IURD desde 2019 tem afligindo os milhares de fiéis no País, sendo este mais “um golpe desumano e brutal contra os milhares de obreiros, jovens e simpatizantes da igreja por toda a Angola”.

A luta na IURD começou em Novembro de 2019, quando um grupo de mais de 300 pastores angolanos subscreveu um manifesto em que recusava integrar a igreja sob a direcção brasileira, originando assim a separação. No manifesto, a direcção brasileira era acusada de actos de racismo, evasão de divisas e procedimento obrigatório de vasectomia.

Actualmente a igreja encontra-se dividida, tendo como alas “os dissidentes” liderada por Valente Bezerra Luís, que, supostamente, tem apoio das autoridades, e da “brasileira” de Alberto Segunda, com apoio dos fiéis e do líder mundial Edir Macedo.

Entretanto, as duas alas dizem ter legitimidade para liderar a IURD em Angola. Em Maio último, aquando da participação de milhares de fiéis da IURD na marcha de apoio do MPLA em Luanda, o 1º secretário do MPLA em Luanda, Bento Bento, reconheceu o bispo Alberto Segunda como o representante legal da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola.

De recordar que em sede de julgamento dos pastores e bispos angolanos e brasileiros da IURD, acusados de vários crimes, que não ficaram provados, o juiz principal, Tutri António, aconselhou as duas alas a resolverem os problemas de uma vez por todas e garantiu que os conflitos da IURD não serão resolvidos em nenhum tribunal. “São vocês mesmos que devem ultrapassar os problemas internos da IURD na base do diálogo e do perdão.

É a IURD que perde fiéis e património com essa luta desnecessária sobre a liderança da igreja em Angola”, disse na ocasião o magistrado. Em Angola, a Igreja Universal do Reino de Deus existe desde 1992.

Conteúdo relacionado:

Luanda: Confrontos entre Polícia e fiéis da IURD deixam quatro feridos

Fonte: Novo Jornal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

%d bloggers like this: