Hello, AMP world.
POLÍTICA

Guiné Equatorial vai pagar despesas de JES em Barcelona

outubro 18, 2021 1:06 pm

Notícias de Angola – Guiné Equatorial vai pagar despesas de JES em Barcelona

O Presidente da Guiné Equatorial Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, comunicou as autoridades angolanas que passará a contribuir nas despesas do antigo Chefe de Estado José Eduardo dos Santos (JES), sempre que este se deslocar a Espanha, Barcelona para prosseguimento do tratamento médico que recebe naquele país, europeu.

ANTIGO PRESIDENTE DE ANGOLA TEVE A MESADA ENCURTADA 

De acordo com fontes diplomáticas, o líder da Guiné Equatorial sentiu-se comovido com a situação do seu amigo angolano, depois de ter recebido um “informe” do Presidente da Guiné-Bissau Úmaro Sissoco Embaló, que visitou JES em Outubro de 2020, em Barcelona reportando-o sobre as condições que o Estadista angolano estaria submetido.

Inicialmente as despesas de JES em Espanha, eram asseguradas pela filha Isabel dos Santos, ou pelo general Leopoldino Fragoso do Nascimento, uma vez que o antigo Presidente havia declinado apoio do Estado angolano.

Na sequência do congelamento das contas bancarias de Isabel e “Dino” por parte da PGR angolana, Eduardo dos Santos acabaria por reconsiderar a sua posição aceitando que as suas despesas fossem equacionadas no âmbito das regalias esplanadas na Lei sobre o Estatuto dos Antigos Presidentes da República de Angola.

 

Agora, sob dependência da Presidência da República, JES foi enfrentando algumas dificuldades. Foi-lhe reduzido para metade, o seu pessoal de apoio, como guardas e durante algum tempo o seu “staff” mais próximo (mordomo e homens de campo), observaram atraso nos seus ordenados. O senhorio da residência no Bairro Pedralbes, Barcelona, que o acolhe desde Abril de 2019, teria reclamado atrasos nas rendas. Por duas vezes, imprensa portuguesa reportou que JES estaria de volta a Luanda, mas sem sucesso. Inicialmente impedido porque teve de viajar ao Dubai consolar a sua filha Isabel dos Santos que se encontrava enlutada e pela segunda vez por alegada ausência de condições.

 

Ao tomar conhecimento que o seu amigo angolano estava a passar “dificuldades” em Barcelona, o Presidente da Guiné Equatorial Teodoro Obiang Nguema Mbasogo notificou Luanda que doravante o seu país iria comparticipar com os custos das despesas de José Eduardo dos Santos em Espanha. No âmbito deste apoio, o Presidente Teodoro Obiang Nguema, terá liberado 3 milhões de euros para apoio da estadia do antigo Chefe de Estado angolano, e igualmente líder emérito do MPLA.

Financeiramente folgado, José Eduardo dos Santos regressou à Luanda, no passado dia 13 de Setembro, transportado numa aeronave Falcon 7X, inicialmente reportada como posta a disposição da Presidência angolana, versão negada por colaboradores do antigo Estadista. A referida aeronave segundo os seus homens de confiança terá sido fretada com “ajuda de amigos” que acharam que o antigo Presidente não estava em condições de viajar numa companhia aérea comercial, sujeito a escalas, e outros transtornos aeroportuário.

JES regressou a Angola para assistir ao pedido de noivado de um dos filhos e tencionava regressar no passado dia 12 de Setembro. De acordo com fontes do Club-K, o seu regresso para o prosseguimento das consultas em Barcelona tem sido adiado assinalando-se, por outro lado, pressões a volta do “inner circle” de João Lourenço para que visite e se reconcilie com o homem que deu lhe o poder, antes que este regresse a Europa.

A nível do regime tem se avolumado manifestações cujas leituras sugerem que JES deveria permanecer até ao VIII congresso agendado para Dezembro para transpirar aos delegados uma mensagem de reconciliação entre as duas desavindas no MPLA, apelidas por o grupo dos “marimbondos” e os “caranguejos”.

REDEFINIÇÃO NO TRATAMENTO A JES

Depois do sentimento de indignação generalizado a volta do regresso de JES marcado pelo não cobertura da sua chegada pela media oficial e a desconsideração por parte de um alto funcionário da TPA desvalorizando a sua chegada, o regime segundo leituras pertinentes terá redefinido a sua posição de ostracização do ex-Presidente e sua família.

 

Quando JES a Luanda, chegou JL foi criticado por não o ter visitado optando por rumar para província do Cuanza Norte. No seguimento de contestações que indicavam deselegância, a Presidência da Republica, fez sair dias depois uma nota de imprensa alegando que os dois estadistas mantiveram uma conversão telefónica para se saudarem. Fontes próximas a JES, não confirmam se o alegado telefonema ocorreu ou não, havendo suspeitas de que a “nota de imprensa” serviu apenas para aliviar a imagem de JL, tendo em conta que a outra parte não “reagiria” para confirmar.

 

Completaram-se um mês desde que JL regressou do Kwanza-Norte, e até ao momento não visitou Eduardo dos Santos.

 

No quadro dos sinais de reedificação do tratamento que as autoridades prestam a JES, foram sendo observações alguns indicadores de melhoramento.

A saber:

– Neste sábado (17), o Presidente fundador da Namíbia, Samuel Daniel Shafiishuna, mais conhecido como Sam Nujoma, foi recebido no palácio presidencial e logo a seguir foi a residência do miramar cumprimentar José Eduardo dos Santos. A media oficial fez cobertura do assunto.

 

– Uma brigada  de internautas do MPLA, na qual faz parte um militante Wankana de Oliveira deixou de produzir nas redes sociais “textos” de ataque a família de JES, com destaque a filha Tchizé dos Santos.

 

– O gabinete de ação psicológica na qual integra um quadro Octavio Capita muito próximo a Norberto Garcia, interrompeu a produção de textos nas redes sociais insinuando que JES estaria a financiar a Adalberto Costa Júnior. O nome de JES foi excluído da campanha e substituído por Isabel dos Santos visando agitar a UNITA.

REPERCUSSÃO INTERNACIONAL

O tratamento menos digno que Luanda passou a prestar a JES terão levado com que alguns lideres africanos do Oeste de Africa se distanciassem de João Lourenço.

 

1 – Lourenço “encurtou” contatos com o seu homologo guineense Umaro El Mokhtar Sissoco Embaló, depois de em Março de 2019, este ter proferido declarações deselegantes contra Angola, respeitante a forma que JES estava a ser tratado ou “perseguido” conforme acusou. A situação entre ambos agravou-se depois de JL ter irritado Embaló ao receber em Luanda o ex-candidato presidencial do PAIGC, Domingos Pereira Simões quando decorria nos tribunais daquele país um contencioso eleitoral.

 

2- Teodoro Obiang Nguema Mbasogo que partilhava com JES o mesmo histórico de longevidade no poder, terá sido o primeiro estadista africano a desassociar se de JL. No passado mês de Julho não viajou a Luanda para participar na cimeira da CPLP. De acordo com versões que correm em meios africanos, a sua ausência deveu-se ao facto de ter tomado conhecimento que  JL aliou-se a Portugal na cruzada contra a Guine Equatorial, mas também por estar desgastado por Luanda ter cortado a mesada de JES a quem aquele estadista tratou de suprimir rapidamente a “falha” transferindo três milhões de euros para o seu amigo em Barcelona. Nguema é internacionalmente conhecido como grato a JES por este o ter alertado sobre a alertou sobre tentativa de golpe de Estado contra o seu governo, em 2004, movida por mercenários ligados ao antigo batalhão búfalo da Africa do Sul. Teodoro Obiang Nguema nomeou no mês passado um antigo antigo vice-ministro de JES, Sebastião da Silva Isata para exercer o cargo de seu Conselheiro para Assuntos Estratégicos.

 

3 – O presidente da República dos Camarões, Paul Biya que esta no poder a 39 anos e que estaria a preparar um sucessor, recusou na sua posição decidindo impor o seu filho Franck Biya, como substituto. Em meios diplomáticos alega-se que Paul Biya, de 88, descartou a ideia de preparar um delfim baseando-se no exemplo de Angola, entre JL e JES. Desde 2019, que o nome do filho Franck Biya tem estado a ser ensaiado pela media.

CLUB-K

 

Share