Quarta-feira, dezembro 2, 2020

UNITA impõe condição para o regresso de Abel Chivukuvuku

Notícias de Angola – UNITA impõe condição para o regresso de Abel Chivukuvuku

A UNITA considera que um eventual regresso de Abel Chivukuvuku, às suas fileiras, só acontecerá mediante uma justificação pública sobre as razões que o levaram a abandonar o partido e que motivos o levam a regressar.

O seu secretário-geral, Álvaro Chicuamanga disse à VOA que todas as insinuações que estão a ser feitas sobre um eventual regresso de Chivukuvuku, não reflectem o ponto de vista oficial da direcção da UNITA. Este o dirigente do maior partido do oposição em Angola disse que “não há nenhuma posição oficial porquanto nem ele próprio manifestou oficialmente esta intenção”.

Chicuamanga reconhece que a saída de Abel Chivukuvuku, “provocou uma sangria” nas hostes da sua organização política mas considera não haver qualquer ressentimento que possa impedir o reenquadramento, “cada um ao seu nível” dos dirigentes que a dada altura se incompatibilizaram com o partido

Muitgos dos membros da UNITA que se tinham integrado na CASA CE decidiram regressar. “O leque de companheiros que voltaram ao partido é muito bom e significativo”, disse.

“Essa abertura e espirito mantêm-se”, disse Chicuamanga para quem “o mais importante é que venham evoquem as razões que os levaram a saír e depois as razões que os fazem regressar”.

Se ao saírem fizeram declarações públicas sobre o que os tinha levado a deixar a UNITA então devem agora fazer declarações públicas sobre a srazões para o seu regresso, disse. “Esta possibilidade é dada a todo o cidadão”, acrescentou

Abel Chivukuvuku, militante histórico e ex-dirigente da UNITA, saiu deste partido, em 2010, para fundar um novo projecto político, a Convergência Ampla de Salvação Nacional (CASACE), com a qual concorreu às eleições de Setembro de 2012.

O político angolano foi citado em Luanda como tendo manifestado a sua disponibilidade em ingressar em qualquer outro partido político, incluindo a UNITA, depois que o Tribunal Constitucional chumbou o seu projecto político PRA-JA Servir Angola.

Chivukuvuku terá assegurado, no entanto, que excluiria o MPLA dessa possibilidade.

VOA

Deixe o seu comentário

Postagens recentes

Siga-nos

Assine a nossa newsletter

Digite seu endereço de e-mail para se inscrever neste site e receber notificações de novos posts por e-mail.

let's talk!

%d bloggers like this: