Domingo, setembro 20, 2020

Governo prepara programa de cesta básica para famílias mais pobres

Notícias de Angola – Governo prepara programa de cesta básica para famílias mais pobres

O Governo angolano está a preparar um programa de distribuição da cesta básica alimentar às famílias mais pobres enquanto durar o estado de emergência, anunciou o coordenador da comissão interministerial de combate à covid-19, Pedro Sebastião.

Segundo o também ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, o Governo “tem gizado” um programa orientado para a cesta básica, no âmbito do qual estão agendadas um conjunto de visitas da comissão multissetorial às províncias que levarão parte dessa ajuda para os mais necessitados.

“Assim aconteceu já na província no Namibe, Cunene e seguramente vamos conhecer em outros pontos do nosso país onde a ajuda se mostre mais necessária”, disse.

Pedro Sebastião lembrou a este propósito que Angola esteve recentemente envolvida num programa de combate à seca no sul do país em que “o Governo foi chamado a um esforço tremendamente grande para acudir às populações” e poderá usar agora toda a linha logística montada nessa altura.

Questionado sobre a ajuda que o executivo poderá dar às empresas, o governante afirmou que está a ser usado “um conjunto de programas que estabeleceu previamente” e que visam o adiamento do pagamento de impostos e a regularização posterior de determinados atos “no sentido de facilitar a vida” às empresas.

No que diz respeito aos salários que considerou “o calcanhar de Aquiles” para os trabalhadores, Pedro Sebastião admitiu que a “não produção” durante o período em que decorre o estado de emergência vai criar dificuldades às empresas.

“O Governo está atento e está a criar todos os incentivos para acudir, não só para acudir às empresas”, mas também dar resposta “às preocupações que se colocam às populações”, frisou o coordenador.

Ao longo de quase três horas de conferência de imprensa, durante a qual foi feito um balanço da primeira semana do estado de emergência em Angola, Pedro Sebastião e os ministros da Saúde, dos Transportes, do Interior, do Comércio e da Comunicação Social e o governador provincial de Luanda reiteraram várias vezes o apelo à população para que fique em casa durante este período.

O estado de emergência na sequência da pandemia da pandemia de covid-19 foi declarado no dia 27 de março e prolonga-se até 11 de abril e inclui medidas que limitam a movimentação de pessoas, aglomerados de pessoas e funcionamento de estabelecimentos comerciais.

No entanto, verificaram-se ao longo de toda a semana, sobretudo em Luanda, capital de Angola, alguns aglomerados, em particular junto de mercados, com muitos angolanos a queixarem-se de não ter alternativa senão continuar a sair para garantir a sua sobrevivência diária.

Angola regista oito casos positivos de infeção pelo novo coronavírus, entre os quais dois óbitos.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 55 mil.

Dos casos de infeção, cerca de 200 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Deixe o seu comentário

Postagens recentes

Siga-nos

Assine a nossa newsletter

Digite seu endereço de e-mail para se inscrever neste site e receber notificações de novos posts por e-mail.

%d bloggers like this: