Segunda-feira, setembro 21, 2020

Jornal Expansão está à beira da falência

Notícias de Angola – Jornal Expansão está à beira da falência

O fórum Banca, evento que anualmente reúne a nata da banca nacional, numa organização do empresa Nova Vaga, detentora do Jornal Expansão e do Novo Jornal, está em vias de ganhar um novo concorrente de peso.

Fontes deste portal, confidenciaram que o Grupo Média Rumo, que recentemente contratou o jornalista e economista Carlos Rosado de Carvalho para dirigir os três títulos da Holding a partir dos próximos dias (Mercado, Vanguarda e Revista Rumo), também tenciona realizar um evento semelhante com o objectivo de juntar personalidades da alta finança nacional e internacional, governantes, reguladores, banqueiros, empresários, gestores, quadros médios e superiores, académicos e outros especialistas.

Os Fóruns Expansão, que desde 2011 são realizados no mês de Junho de todos os anos em Luanda, são uma iniciativa das Conferências do Jornal Expansão, divisão especializada na organização, isoladamente ou em parceria, de fóruns, conferências, seminários, palestras, debates, workshops e outros eventos sobre temas relevantes para a economia angolana.

Ganharam impulso tão logo Carlos Rosado de Carvalho assumiu a direcção deste jornal de referência económica em 2013.

Com a saída deste para a Média Rumo, especialistas em banca e Finanças prognosticam que os “players” do sector irão preferir associar-se aos eventos a serem organizados por Carlos Rosado de Carvalho ao invés daqueles que venham a ser organizados pelo Expansão.

Criado em 2009, o Expansão é considerado como o jornal líder de economia e negócios em Angola.Recentemente, surgiram relatos de que o mesmo jornal, detido por Emanuel Madaleno, irmão de Álvaro Sobrinho, terá na sua posse grande quantidade de informação sobre supostos negócios lesivos entre o Estado angolano e um fundo de investimentos internacional.

De lá para cá, vários artigos não assinados sobre o mesmo, são publicados de forma deliberada como mecanismo de pressão.

Através de intermediários em Luanda, o PCA do referido fundo terá mantido contactos com Emanuel Madaleno, tendo em vista impedir a divulgação de mais dados pelo jornal.

Conforme apurado pelo África Monitor, Emanuel Madaleno pretende a venda do jornal, por um valor de cerca de 30 milhões de dólares.

O jornal que conta com vários expatriados na sua Redacção, tem vindo a enfrentar problemas financeiros, com atrasos no pagamento de salários, que levaram à saída do anterior director Carlos Rosado de Carvalho e alguns jornalistas nacionais.

LP

Deixe o seu comentário

Postagens recentes

Siga-nos

Assine a nossa newsletter

Digite seu endereço de e-mail para se inscrever neste site e receber notificações de novos posts por e-mail.

%d bloggers like this: