Grupo Carrinho compra 30% do Keve e salva o banco do general Higino Carneiro

BNA Keve

Notícias de Angola – Grupo Carrinho compra 30% do Keve e salva o banco do general Higino Carneiro

Segundo a nota chegada a redação do Lil Pasta News, o Banco Keve informa que concluiu “com sucesso” o seu segundo aumento de capital, dispondo de fundos próprios acima dos exigidos pelo regulador angolano, e que iniciou um processo de reestruturação com aposta nos serviços digitais.

Uma fonte da instituição financeira disse, no entanto, à Lusa que o banco dispõe de fundos próprios suficientes, acima das exigências legais, e que não está em falência técnica, estando focado “no saneamento e robustez do balanço”.

A confirmou ainda que serão encerradas varias  agências em todo país.

Num comunicado hoje divulgado e assinado pelo presidente do conselho de administração, José Pedro de Morais Júnior, o banco informa ter concluído com sucesso o segundo aumento de capital, num total de 24 mil milhões de kwanzas (38 milhões de euros).

“Com isto, os fundos próprios do banco ultrapassam agora os 40 mil milhões de kwanzas [64 milhões de euros], muito acima do limite mínimo de 7,5 mil milhões de kwanzas [12 milhões de euros] exigidos pelo Banco Nacional de Angola”, indica o documento.

O banco, que tem entre os seus 50 acionistas nomes como o de Manuel Carneiro, sobrinho de Higino Carneiro (ex-ministro das Obras Públicas, acusado de crimes de peculato, nepotismo, tráfico de influência, associação criminosa e branqueamento de capitais), José Pedro de Morais Júnior, antigo ministro das Finanças de Angola, e André Luís Brandão, ex-ministro dos Transportes, estaria a ser pressionado pelo Banco Nacional de Angola (BNA) para afastar as Pessoas Politicamente Expostas (PEP) da sua estrutura.

A fonte que viemos citando  confirmou que “existe uma recomendação” do banco central neste sentido, tendo em conta o estatuto de equivalência com a União Europeia, para se “reavaliar a posição das PEP nas estruturas acionistas e órgãos sociais” da banca angolana.

Grupo Carrinho entra no Banco Keve

Informações apurada dão conta que na terça-feira, 04, a empresa angolana sediada em Benguela, comprou 30% das acções do Banco Keve, a fonte avança que os marimbondos tradicionais foram pressionados e ameaçados a entregarem essa percentagem para não serem julgados e condenados, como aconteceu com outros políticos que a cinco anos atrás governavam o país.

O grupo Carrinho pagou 20 mil milhões de kwanzas na aquisição de 30% das acções daquele banco que muitos entendem que foi criado com o dinheiro de todos os angolanos.

Lil Pasta News

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

%d bloggers like this: