Análise: A morte da zungueira

Análise: A morte da Zungueira

O Informativo Angolano informa lamentando a atitude de um Agente da Polícia Nacional de Angola que disparou mortalmente para um Zungueira (Vendedora de Rua). A morte da mulher causou um alvoroço na capital de Angola concretamente no Rocha Pinto, a sociedade Civil lamentou o facto de um agente da ordem pública que disparou para uma cidadã indefesa que tudo fazia para procurar o sustento de sua família.

A morte da zungueira
A morte da zungueira

“Não há emprego, os mercados ficam muito distantes de casa, com efeito, não temos como pagar o taxí para lá estar, a crise econômica esta demais”. Disse lamentando outra Zungueira que em lagrimas lamentava a morte da sua companheira.

Por consequência, os citadinos preveem a realização de uma marcha de protesto contra os mal tratos ás mulher vendedoras de rua.

As testemunhas no local falam de excesso de autoridade da Polícia que não devia transcender o Direito a vida.

Consultado o comando Provincial da Polícia em Luanda, o seu porta-voz Mateus Rodrigues, disse que prosseguem os esforços para a manutenção da ordem Pública. Admitiu ainda a possibilidade de haver mais vítimas, de acordo com relatos da população, que apontam para três mortes.

“Não podemos confirmar nem negar, a situação é de tal maneira hostil que pode levar a isso. A multidão está a agir de forma muito violenta, está a confrontar violentamente as nossas forças e é possível que situações do género possam ocorrer”, disse.

A vida é um bem inalienável que o Estado Angolano visou proteger segundo o disposto no artigo 30º da Constituição da República de Angola. Entretanto, pouco tenho sido o esforço para que de facto essa proteção seja efectiva. Com efeito, por respeito a dignidade da pessoa humana é imperioso que a Polícia Nacional cumpra o seu dever que é de proporcionar Segurança e não matando cidadã indefesas. Vale ressaltar que muitas tem sido as reclamações das Vendedoras de Ruas, que tem sido vítimas de mal trato no dia-a-dia pela polícia fiscal. Por isso, aconselhamos que o Ministério do interior crie um programa eficaz de moralização e disciplina laboral.

 

Por: Informativo Angolano 

%d bloggers like this: