Ex-CEMG das FAA Furtado perde milhões de dólares em Cabo Verde e não se importa

Notícias de Angola – Ex-CEMG das FAA Furtado perde milhões de dólares em Cabo Verde e não se importa

O Informativo Angolano soube que, o antigo Chefe de Estado Maior General (CEMG) das Forças Armadas Angolanas (FAA), Francisco Pereira Furtado, perdeu dezenas de milhões de dólares num negócio que pretendia realizar em Cabo Verde, terra dos seus progenitores, de acordo com informação dada ao Correio Angolense por fonte do inercircle da mídia da ilha lusófona.

Fazendo fé nessa fonte, o general de exército agora reformado, tentou a aquisição da primeira estação privada de TV de Cabo verde, a Televisão Independente de Cabo Verde, comummente conhecida por TIVER.

O negócio ocorreu em 2014, um ano antes de Angola assumir estar em crise devido à baixa do preço do petróleo no mercado internacional.

Então, Francisco Furtado pagou parte do valor estabelecido pelo proprietário do canal, o jornalista cabo-verdiano Rui Pereira, seu fundador e administrador.

O informador do Correio Angolense diz não saber quanto exactamente terá sido pago naquela transação que representou a primeira tranche do total do pagamento, mas fala em “dezenas de milhões de dólares”.

Poucos dias após o primeiro desembolso, Francisco Furtado ordenou outro pagamento a partir de uma conta domiciliada num banco em Londres para fechar definitivamente o negócio. Mas como foi alertado atempadamente pelo seu advogado sobre o incumprimento de algumas cláusulas pela contraparte, o general mandou cancelar a transferência.

Na sequência do cancelamento ordenado por Francisco Furtado, o banco, cujo nome a fonte do CA não soube precisar, terá bloqueado a operação suspeitar que ela estaria a ser nutrida com fundos de proveniência duvidosa.

Não se sabe se, passada meia década, o ordenante da operação que favoreceria a TIVER já tem acesso à conta. O que se sabe é que o negócio, este, ficou em águas de bacalhau, o mesmo que dizer que o ex-CEMG das FAA ficou sem o pretendido canal de TV.

Mais: até agora não tugiu e nem mugiu. Sequer, aliás, ousou cobrar a Rui Pereira a tranche que havia pago!
No seu site, a Tiver, SA – Televisão Independente de Cabo Verde identifica-se como a primeira estação de manifestação privada do arquipélago, iniciada, oficialmente, em 2007.

Refere ainda que “constitui-se, assertivamente, numa arrojada iniciativa empresarial que se posicionou para enfrentar os desafios da acelerada revolução tecnológica ao nível audiovisual, e proporcionar a Cabo Verde um forte e contributivo instrumento de participação plural e democrática no seu processo de desenvolvimento mental, espiritual e psicológico”.

Fonte: CA/ Angonotícias

%d bloggers like this: