Tribunais superiores em Angola continuam com ligações partidárias

Notícias de Angola – Tribunais superiores em Angola continuam com ligações partidárias diz Lindo Bernardo Tito

O Informativo Angolano soube que, o antigo deputado da CASA-CE, Lindo Bernardo Tito é agora deputado independente que abandonou com mais sete colegas seus a Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE) após expulsão de Abel Chivukuvuku da presidência da coligação.

A CASA-CE conta actualmente com o Partido Aliança Livre de Maioria Angolana (PALMA), Apoio para Democracia e Desenvolvimento de Angola – Aliança Patriótica (PADDA-AP), Partido Pacífico Angolano (PPA), Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA), Bloco Democrático (BD) e ainda o Partido Democrático Popular de Aliança Nacional de Angola (PDP-ANA).

Tito era Vice-presidente na coligação e é o primeiro mais novo deputado na Assembleia do Povo constituída após os resultados eleitorais de 1992. Com 50 anos de idade o político faz contas do seu futuro político, profissional e académico.

O Decreto partilha com seus leitores uma das primeiras entrevistas dentre várias agendas.

O Decreto: Como pensa dar sequencia ao seu percurso político?

Lindo Tito: um político só morre quando for esta a sua vontade. Espero poder ainda fazer politica até aos meus 65 anos de idade. Chegado a esta idade não terei outra solução: abandonarei a vida política activa. Cada coisa a seu tempo, pois há tempo para sorrir e tempo para chorar, por isso a seu tempo direi no concreto como renascerei dos “escombros”.

O Decreto: já ocupou cargos políticos? Quais?

Lindo Tito: O meu percurso político foi agraciado de bons e maus momentos. Ocupei sim cargos de relevo no aparelho partidário e em órgão de soberania, no caso Assembleia Nacional, onde fui 3.º Secretário da Mesa, Secretário das Comissões de Defesa, Ordem e Interna e da Educação; exerci as funções de Presidente do Grupo Parlamentar do PRS, Secretário Adjunto Municipal de Saurimo do PRS, Secretário Nacional para Informação, do mesmo partido e nos últimos anos Vice-Presidente da CASA-CE para Comunicação e Marketing.

O Decreto: Já ocupou funções no executivo?

Lindo Tito: Ainda não tive oportunidade de colocar a prova a minha capacidade de gestão dos interesses públicos, pois as agremiações políticas partidárias onde militei não chegaram a ser governo.

O Decreto: Além de deputado o que é que mais faz hoje?

Lindo Tito: Sou professor da Universidade Óscar Ribas, onde lecciono há dez anos. Igualmente, exerço a advocacia. Estas duas profissões fazem de mim o que sou, para além da política.

O Decreto: Quais são os seus desafios daqui para frente?

Lindo Tito: continuarei à emprestar o meu modesto contributo para uma Angola melhor, e, sobretudo, para que cada angolana tenha o pouco para saciar a fome. Minha maior tristeza é de fazer meus compatriotas a viver em situação de extrema pobreza, num País com potencial económico enorme.

O Decreto: Que avaliação faz da MPLA actual?

Lindo Tito: O actua Mpla apenas mudou o rosto da liderança, mas continua o mesmo. O partido que tem uma enorme capacidade de teorização programática, mas, infelizmente, incapaz de implementar os ambiciosos programas a que se propõem. Lamento dizer que o MPLA continua a ser um partido da direita radical nos seus programas de governação e do centro esquerda durante os períodos eleitorais.

O Decreto: Que avaliação faz da liderança dos outros partidos?

Lindo Tito: Queres que falo do Presidente da UNITA, do PRS, da FNLA, do BD, PALMA, PDN-ANA, PPA, PNSA, PADDA-AP E APN. Na verdade, o País tem três lideranças partidárias, designadamente Isaías Samakuva, Benedito Daniel e Lucas Bengui Ngonda. Estes lideram os seus partidos sem sombra de ninguém, logo a avaliação deles é possível. Sabemos o que fazem e como o fazem. Os outros não. Alguns andaram na sombra do Dr. Abel Chivukuvuku, hoje estão caminho.

A avaliação deste lideres deve ser feita no plano interno, pelos seus militantes que acompanham o a idealização e materialização das estratégias, com vista a assunção do poder político. No plano externo a nossa avaliação pode ser atreves dos resultados eleitorais. Neste capítulo a nota é negativa.

O Decreto: Certamente conhece a actuação do CNE, que avaliação faz?

Lindo Tito: infelizmente, a CNE não é o órgão que na pratica assegura a realização das eleições. A cada eleição vários órgãos interferem no processo de preparação e realização das eleições. Esta constatação permite-me atribuir nota negativa a este órgão, sobre o qual não tenho e nunca tive nenhuma simpatia. Espero que os actores políticos alterem com urgência o funcionamento e a composição da CNE.

O Decreto: Que avaliação faz aos tribunais do país?

Lindo Tito: Os Tribunais da primeira instância têm melhorado na apreciação das contendas. O mesmo não digo quanto aos Tribunais superiores continuam ainda marcados à ligações partidárias.

O Decreto: Para o senhor quem são os líderes no país que mais lhe inspiram ? e internacionalmente?

Lindo Tito: despido de qualquer paternalismo tenho no Abel Chivukuvuku um grande líder de dimensão nacional e internacional, pelo seu carisma, capacidade de liderança, forte sentido e sentimento humanista para com o próximo e muito inteligente.

Admiro o Presidente João Lourenço pela coragem que tem tido no campo de combate a corrupção, apesar de reconhecer que esta luta enquadra-se no campo da afirmação do seu poder político.

O meu ídolo no plano internacional não faz parte do nosso mundo., ele chamou Nelson Mandela, de feliz memória.
Sou pequeno demais para descrever a dimensão política e social desta figura. Não posso deixar de exprimir o seguinte: obrigado Mandela por tudo quanto fizeste pela teu África do Sul e pelo mundo.

O Decreto: Já pertenceu a um outro partido político angolano?

Lindo Tito: sim. Fui militante do PRS desde 1991 a 2008 e contribui na fundação da CASA-CE em 2012. Por favor do Acórdão do Tribunal Constituição que declarou que as coligações em Angola não têm militantes, pois os militantes devem estar filiados nos partidos coligados, fui forçado em companhia de centena de independentes abandonar a CASA.

O Decreto: Porque abandonou?

Lindo Tito: abandonei o PRS por desinteligência havidas entre eu e o ex-presidente Eduardo Kuangana, com alguma instigação de intriguista, alguns dos quais abandonaram o PRS, deixando-o pobre. O desentendimento com o Presidente Kuangana resultou do facto de pretender a reconciliação entre ele e o Dr. João Muachicungo.

Por favor do Acórdão do Tribunal Constituição que declarou que as coligações em Angola não têm militantes, pois os militantes devem estar filiados nos partidos coligados, fui forçado em companhia de centena de independentes abandonar a CASA.

O Decreto: Já agora há informações de que o senhor será o vice-presidente do partido que está a ser projectado pelo Abel Chivukuvuku. É verdade?

Lindo Tito: Não gosto de responder fofocas. Neste momento estou a pensar seriamente no papel que devo exercer na academia e na sociedade civil. Sobre política quero apenas me dedicar no exercício do meu mandato como Deputado.

Lembro que em 2008, quando suspendi a minha actividade política dediquei me à academia, advocacia e enquadrei me nos grupos de pressão da sociedade civil.

O Decreto: O que tem a dizer em relação a governação de JLO?

Lindo Tito: Ainda é muito cedo para fazer uma avaliação mais objectivo, olhando para programas e políticas públicas. O Presidente João Lourenço dedicou mais tempo para a sua afirmação política. Dois anos de governação reconheço, com honestidade, a degradação da situação social. O País entrará em colapso, com o agravamento das medidas fiscais. Nos próximos meses os angolanos serão cada vez mais pobres, pois serão obrigados a suportar uma carga fiscal injusta e inaceitável. Acredito que a credibilidade do Presidente baixará cada vez mais.

O Decreto: Política habitacional de 0 à 10

Lindo Tito: Nota 4. Ainda temos centenas de milhares de angolanos ao relente, isto é, sem abrigo.

O Decreto: Política de empregabilidade de 0 à 10

Lindo Tito: Nota 2.

O Decreto: Um apelo a sociedade angolana.

Lindo Tito: O exercício dos direitos é sagrado no Estado Democrático.

O Decreto: a questão do Dr. Rui Ferreira.

Lindo Tito: Sou de opinião de que o Dr. Rui Ferreira devia reflectir profundamente na sua manutenção ou não nas funções que ocupa. A imagem esta profundamente macula com tudo quanto tem sido divulgado.

Tenho muita admiração pelo Dr. Rui Ferreira. Espero que saiba salvaguardar a sua estatura de um grande profissional, de atributos indiscritíveis.

Lindo Tito é um cidadão angolano natural de Cambulo, Província da Lunda-Norte, pai de 5 filhos, casado com a senhora Olga Tito, minha dedicada companheira, como tenho dito, meu frio.

Perfil de Lindo Bernardo Tito

Data de Nascimento: 4 de Fevereiro de 1969

Local de Nascimento: Cambulo

Estado Civil: Casado

Filhos: cinco

Profissão: Professor e Advogado

Formação: Licenciado em Direito

Destino em Angola: Lagoa de Nacarumbo. Quero tanto conhecer esta localidade da Lunda-Norte pelo simbolismo que representa.

Lema de vida: “Somente as pedras não sobem à tona quando caem no fundo de um poço”. Caio Fernando Abreu.

Hobbies: Viagem e leituras

Livro a ler – CASA DE ESPIÕES – Daniel Silva.

Comida que prefere – Funge com candonda, peixe do rio cozido ( Txissopa) e Matamba.

Música que gosta – Sassa Tchokwe e Sertanejas.

Onde estava 11 de Novembro de 1975?

Em Cambulo, minha terra natal.

Por Coque Mukuta

%d bloggers like this:
Optimized with PageSpeed Ninja