Rui Ferreira acusa General Miala de perseguição

Rui Ferreira acusa General Miala de perseguição

Notícias de Angola – Rui Ferreira acusa General Miala de perseguição

O Juiz Presidente do Tribunal Supremo e do Conselho Superior da Magistratura Judicial, Rui Constantino da Cruz Ferreira acusa o General Fernando Garcia Miala actual chefe do Serviço de Inteligência e Segurança do Estado (SINSE) de estar por detrás da pressão para que abandone a presidência do Tribunal Supremo de Angola.

Uma onda de denúncias têm sido divulgadas nos últimos meses contra a figura do Rui Constantino da Cruz Ferreira, que para ele, estas informações visam o demover de continuar a liderar o Tribunal Supremo.

Em círculo “privado”, Rui Ferreira, aponta como líder desta cabala e promotor das respctivas acusações o General Fernando Garcia Miala, chefe do Serviço de Inteligência e Segurança do Estado (SINSE). Segundo Ferreira “estas acusações não fazem sentido” e que só podem estar a ser motivadas pelos seus detratores, “nem vou perder tempo com isso” dizia Rui Ferreira a fontes próximas.

Rui Ferreira foi inicialmente criticado pela UNITA, que segundo seu presidente Isaías Samakuva, a forma de eleição de Rui Ferreira viola a constituição, por isso, na altura, escreveu para a Procuradoria Geral da República, mas até ao momento não houve qualquer resposta. De lá para cá, aumentam o tom das acusações. Recentemente os irmãos Artur de Almeida e Silva e Francisco Mateus Dias dos Santos vieram a público acusar Rui Ferreira, seu antigo advogado, de se ter apoderado dos bens da sua empresa, a conhecida Arosfran, que enquanto sociedade comercial de direito angolano, foi criada em 1992, na Conservatória do Registo Comercial de Luanda pelos dois irmãos.

Podes ver também:

Negócio de 300 milhões de dólares embaraça Rui Ferreira Juiz do Supremo

Mais tarde um empresário libanes Ahmud Tajedeen , por sinal irmão do antigo financiador da Arosfran, Kassin Tajedeen, preso nos EUA por ter sido acusado de usar as suas empresas em Angola para financiar a rede terrorista do Hezzbolah, “em audio nas redes sociais” reivindicou que Rui Ferreira é seu advogado. Veio a se saber mais tarde que “parte do dinheiro das vendas da Arosfran, detida pelos signatários, bem como da Afribelg e Golfrate, grupos detidos por Kassim Tajideen, teriam circulado pelas contas da empresa ALLCOMERCE, controlada pelo filho do juiz Rui Ferreira”, Uma operação de 50 milhões de euros que Sidney Ferreira, o filho do actual Presidente do Tribunal Supremo realizou, em 2011, através de uma conta da empresa que partilha com a família Tajideen, os irmãos libaneses que antes eram sócios da Arosfran. Na altura dos factos Sidney contava com 23 anos de idade.

Sabe-se que os antigos donos da Arosfran levam a cabo uma campanha de recolha de assinaturas que foi precedida de uma conferência de imprensa dada pelo empresário Francisco Mateus Dias dos Santos, mais conhecido por “Kito dos Santos”, ele que, à semelhança do seu irmão Artur Almeida e Silva , foi vítima de uma alegada Burla por parte do juiz conselheiro do Tribunal Supremo no conhecido caso Arosfram. Agora tida como estando a ser aproveitada pelo SINSE para que Rui Ferreira abandone o cargo por ser mais próximo ao JES do que ao JLO.

C/CM

Read Previous

Centenas de falsos médicos do Congo e Cuba a trabalharem em Angola

Read Next

Nova tarifa de energia elétrica entra em vigor com aumento de 97%

%d bloggers like this: