Recém nomeado assessor de João Lourenço tem antecedente judicial

Notícias de Angola – Recém nomeado assessor de João Lourenço tem antecedente judicial

O Informativo Angolano soube que, a recente nomeação de Lopes Paulo, para o cargo de Secretário do Presidente da República para os Assuntos Económicos, fez levantar em menos de 24horas, criticas a volta da desatenção do gabinete presidencial, quanto ao critério de seleção de quadros.

Nas criticas feitas, foi realçado, o antecedente de Lopes Paulo que o levou a condenação há uns anos por alegado “crime de alteração de assinaturas.”

Recém nomeado assessor de João Lourenço tem antecedente judicial

De acordo com o histórico do precedente levantado, Lopes Paulo exercia funções de gestão na empresa SONAID. Na sequência de suspeitas de irregularidades na gestão, a empresa apresentou queixa-crime, tendo o caso chegado a julgamento. Segundo a fonte do Club-K, Lopes Paulo foi condenado por prisão maior (3 anos).

O Código Penal consagra como medida acessória da condenação em pena maior a impossibilidade de exercício de funções públicas.
A “SONAID – Serviços de Apoio à Perfuração Limitada” é uma sociedade por quotas de responsabilidade limitada, com sede na rua Kwamme Nkrumah. O pacto social da empresa foi sucessivamente alterado em 2011, 2014, 2015 e 2018, o qual possui como objecto o exercício de atividade industrial, comércio a grosso e a retalho, bem como a prestação de serviços mercantis (equipamento tubular para a perfuração de petróleo e gás, limpeza industrial, etc.).

O capital da SONAID é de AOA 23.090.468,00, dividido e representado por três quotas, sendo: uma quota no valor nomimal de AOA 6.927.140,00, a que corresponde 30% de que é titular a sócia “Sonangol Holdings, Limitada”; uma quota no valor de AOA 3.463.570,20 de que é titular a sócia “Spie Oil Gas Services, SAS”; uma quota no valor de AOA 12.699.757,40 de que é sócia “QUIMBRIZ – Sociedade Universal de Serviços, Limitada”.

Eleito membro do Comité Central do MPLA, no seu VII Congresso Extraordinário realizado a 15 de Junho de 2009, e elevado ao Bureau Político em reunião do Comité Central realizada no mesmo dia, Lopes Paulo é um economista que já exerceu funções como Administrador da APIEX, ao tempo em que foi PCA (da APIEX) António Henriques da Silva (Tony Dinguanza).

De 44 anos (08.10.1974), Lopes Paulo é natural do município de Samba-Pombo, província do Uíge. É docente de Contabilidade Financeira, da Universidade Metodista de Angola. Foi director-geral da empresa “WERL – comércio e indústria, importação exportação Lda.” Lopes Paulo também foi comentarista residente da TPA (Televisão Pública de Angola) e da TV Zimbo.

No seu perfil biográfico apresentado no VII Congresso Extraordinário, Lopes Paulo afirma ter ingressado nas fileiras do MPLA em 24 de Fevereiro de 1989, à data com 15 anos embora tenha declarado que o seu cartão de militante tenha sido emitido apenas no ano 2000.

O Presidente João Lourenço já tinha nomeado um Assessor Económico, sobre o qual pendia um inquérito administrativo na procuradoria da Suíca. Trata-se de Carlos Aires da Fonseca Panzo, nomeado a 10 de Outubro de 2017 e exonerado a 20 de Outubro. Carlos Panzo foi exonerado de forma tempestiva porque o então Secretário Jurídico do PR, Itiandro Slovan Simões, persuadiu o Presidente João Lourenço que o inquérito na Suíça se tratava de um processo-crime.

C/ Club-K

%d bloggers like this: