Recém nomeado assessor de João Lourenço tem antecedente judicial

Recém nomeado assessor de João Lourenço tem antecedente judicial

Notícias de Angola – Recém nomeado assessor de João Lourenço tem antecedente judicial

O Informativo Angolano soube que, a recente nomeação de Lopes Paulo, para o cargo de Secretário do Presidente da República para os Assuntos Económicos, fez levantar em menos de 24horas, criticas a volta da desatenção do gabinete presidencial, quanto ao critério de seleção de quadros.

Nas criticas feitas, foi realçado, o antecedente de Lopes Paulo que o levou a condenação há uns anos por alegado “crime de alteração de assinaturas.”

Recém nomeado assessor de João Lourenço tem antecedente judicial
Recém nomeado assessor de João Lourenço tem antecedente judicial

De acordo com o histórico do precedente levantado, Lopes Paulo exercia funções de gestão na empresa SONAID. Na sequência de suspeitas de irregularidades na gestão, a empresa apresentou queixa-crime, tendo o caso chegado a julgamento. Segundo a fonte do Club-K, Lopes Paulo foi condenado por prisão maior (3 anos).

O Código Penal consagra como medida acessória da condenação em pena maior a impossibilidade de exercício de funções públicas.
A “SONAID – Serviços de Apoio à Perfuração Limitada” é uma sociedade por quotas de responsabilidade limitada, com sede na rua Kwamme Nkrumah. O pacto social da empresa foi sucessivamente alterado em 2011, 2014, 2015 e 2018, o qual possui como objecto o exercício de atividade industrial, comércio a grosso e a retalho, bem como a prestação de serviços mercantis (equipamento tubular para a perfuração de petróleo e gás, limpeza industrial, etc.).

O capital da SONAID é de AOA 23.090.468,00, dividido e representado por três quotas, sendo: uma quota no valor nomimal de AOA 6.927.140,00, a que corresponde 30% de que é titular a sócia “Sonangol Holdings, Limitada”; uma quota no valor de AOA 3.463.570,20 de que é titular a sócia “Spie Oil Gas Services, SAS”; uma quota no valor de AOA 12.699.757,40 de que é sócia “QUIMBRIZ – Sociedade Universal de Serviços, Limitada”.

Eleito membro do Comité Central do MPLA, no seu VII Congresso Extraordinário realizado a 15 de Junho de 2009, e elevado ao Bureau Político em reunião do Comité Central realizada no mesmo dia, Lopes Paulo é um economista que já exerceu funções como Administrador da APIEX, ao tempo em que foi PCA (da APIEX) António Henriques da Silva (Tony Dinguanza).

De 44 anos (08.10.1974), Lopes Paulo é natural do município de Samba-Pombo, província do Uíge. É docente de Contabilidade Financeira, da Universidade Metodista de Angola. Foi director-geral da empresa “WERL – comércio e indústria, importação exportação Lda.” Lopes Paulo também foi comentarista residente da TPA (Televisão Pública de Angola) e da TV Zimbo.

No seu perfil biográfico apresentado no VII Congresso Extraordinário, Lopes Paulo afirma ter ingressado nas fileiras do MPLA em 24 de Fevereiro de 1989, à data com 15 anos embora tenha declarado que o seu cartão de militante tenha sido emitido apenas no ano 2000.

O Presidente João Lourenço já tinha nomeado um Assessor Económico, sobre o qual pendia um inquérito administrativo na procuradoria da Suíca. Trata-se de Carlos Aires da Fonseca Panzo, nomeado a 10 de Outubro de 2017 e exonerado a 20 de Outubro. Carlos Panzo foi exonerado de forma tempestiva porque o então Secretário Jurídico do PR, Itiandro Slovan Simões, persuadiu o Presidente João Lourenço que o inquérito na Suíça se tratava de um processo-crime.

C/ Club-K

Read Previous

Samakuva nega ser candidato à presidência da UNITA, mas admite concorrer a Presidência da Republica em 2022

Read Next

MPLA quer gestores públicos rigorosos na gestão do erário

%d bloggers like this: